Variedades

Sessão da Câmara discute atuação da Prefeitura

Executivo municipal recebe críticas e cobranças

 

A sessão da Câmara de Vereadores dessa segunda-feira (19) dividiu opiniões e foi marcada por críticas a atuação da Prefeitura na realização de obras no município. Por meio de dois requerimentos (21 e 22), cinco vereadores pediram maior transparência da prefeitura na gestão dos recursos e no desenvolvimento de obras.

 

 

Pelo requerimento 21, é pedido que o prefeito informe o saldo financeiro do município de dezembro de 2020 a junho deste ano, descriminando os recursos vinculados por secretaria em que devem ser ou foram aplicados. Já pelo requerimento 22, pede-se que a Prefeitura preste contas dos projetos de obras em andamento no município e informe quando se intenciona concluir as obras na Avenida Rigesa.

 

 

No uso da palavra, o vereador Laudecir Gonçalves (PR), explicou que um dos pontos que o levou a assinar os requerimentos é saber se a prefeitura está tomando as devidas medidas para cobrar a empresa licitada para realizar as obras da praça. Além disso, o vereador pede que o prefeito explique o que foi feito com o dinheiro liberado pela Câmara para a realização de obras, mas que ainda não foi empenhado. Após o pedido de explicações, não deixa de elogiar o trabalho que vem sendo realizado no programa Porteira Adentro.

 

 

 

“Sinto-me envergonhada muitas vezes de dizer que sou vereadora aqui no município, porque a população nos cobra”, afirma Josi Gazaniga (MDB). Sua crítica se dirige à lentidão com que as obras públicas vem sendo realizadas em Três Barras e, para ela, as coisas só acontecem de fato em ano eleitoral. “Três Barras deveria ter eleição anual, porque aí seriam feitas as coisas”, assevera. Gazaniga também faz autocrítica para o papel dos vereadores, que diz não estarem trabalhando o suficiente pelo município.

 

 

A última crítica de Gazaniga foi rebatida por Ernani Wogeinaki Junior (PSL). “Se a senhora diz que os vereadores nada fizeram, contradiz a si mesma ao assinar o requerimento”, critica. O vereador defende a atuação da Câmara dizendo que todos estão atuando na busca por recursos e cobrando o Executivo, que para ele também está trabalhando, ainda que não da melhor forma possível.

 

 

 

Em coro a Gazaniga, Laudecir Gonçalves afirma que os vereadores são cobrados pela população por obras que a Prefeitura deve executar, e por isso devem ser mais atuantes e ajudar o município de uma forma mais eficaz.

 

 

 

A partir desse momento, os vereadores presentes passam a debater a função do Legislativo e a do Executivo, reclamam que muitas vezes são cobrados por questões que não lhes cabem e que a população precisa saber melhor qual a função de cada Poder.

 

 

 

Ainda sobre as obras, o vereador Willian Hamilton Machado De Lima (Cidadania) afirma que conversou informalmente com o prefeito e que sente que os vereadores devem tomar alguma medida, fazer alguma indicação, para melhorar o trânsito no canteiro de obras da Avenida Rigesa, a fim de evitar acidentes.

 

 

 

Outros projetos e comentários

Os vereadores Ernani Wogeinaki Junior e Abrahão Mussi (ambos do PSL), levaram ao Expediente, o Projeto de Lei 23/2021, que propõe alteração na Lei de Geração de Empregos de 2018. Nenhum dos dois comentou o PL na sessão.

 

 

 

A vereadora Carla Shimoguiri (PTB), manteve seu foco na educação, como em sessões anteriores, e indicou ao município a compra de lousas digitais para as escolas.

 

 

 

 

          Alexandre Douvan

Comente esta matéria: