Cidade Principais

Prefeitura de Três Barras vai decretar paralisação de obras na construção civil

O prefeito de Três Barras, Luiz Divonsir Shimoguiri, antecipou na tarde desta quinta-feira (19) que vai decretar a paralisação de todas as obras de construção civil em andamento no município.

 

A medida, anunciada em primeira mão a representantes de indústrias e empresas de transporte da cidade durante reunião, visa conter o avanço do coronavírus.

 

O decreto que será publicado nesta sexta-feira (20) atinge pequenas, médias e grandes construtoras, e especialmente as obras de ampliação em empresas como Mili S.A e WestRock. A decisão valerá durante o período de quarentena, que a princípio seguirá até a próxima quarta-feira (25).

 

Só na ampliação da fábrica de papel da WestRock atuam cerca de 2,5 mil funcionários, tanto na construção civil, como na linha de montagem. Além de Três Barras, há alojamentos nas cidades vizinhas de Canoinhas e São Mateus do Sul/PR.

 

Para lançar a nova medida preventiva, Shimoguiri disse que consultou o Ministério Público e que está agindo em consonância com o próprio decreto do Governo do Estado, que declara que as obras de construção civil não são serviços essenciais à população, durante o período de combate à pandemia do Covid-19. “As pessoas são mais importantes do que qualquer situação econômica”, justificou.

 

A decisão entra em vigor tão logo a publicação do decreto. Comandante do Grupo da Polícia Militar de Três Barras, 2° sargento Reginaldo Scheuer, informou que algumas construtoras já foram avisadas da nova regulamentação municipal.

 

Segundo ele, a própria Polícia Militar irá fiscalizar o cumprimento da decisão. “Inicialmente será feita a orientação. Se em 24 horas os trabalhos continuarem, aplicaremos uma notificação. Caso permaneça o desrespeito à medida num prazo de 48 horas, a obra será interditada”, explicou.

 

De acordo com o comandante, a ordem é que os trabalhadores fiquem em casa, em regime de quarentena. Já os funcionários das obras de expansão devem ficar recolhidos nos alojamentos.

 

Plano de contingência

A secretaria de Saúde e a Vigilância Epidemiológica aproveitaram o encontro para também repassar informações e orientações sobre como conter a propagação do Coronavírus.

 

O Plano de Contingência do município e as precauções adotadas pelas próprias empresas foram discutidos, desde a higienização dos veículos de transporte dos funcionários e dos refeitórios, à triagem daqueles com sintomas de gripe ou resfriado, até o afastamento do trabalho de todos os portadores de doenças crônicas, gestantes e pessoas com 60 anos ou mais.

 

Para a secretária de Saúde, Raquel Cunher Vieira, é fundamental que as ações sejam trabalhadas em conjunto. “Todos tem que falar a mesma língua”, frisou.

 

Responsável pela Vigilância Epidemiológica do município, médico clínico geral João Ramão afirmou que o engajamento e conscientização são palavras de ordem neste momento. “Temos que evitar ao máximo a disseminação do vírus”, alertou.

Comente esta matéria: