Andriw Dubiela Principais

Pesquisas de opinião e a insônia de Bolsonaro

Foto: Divulgação/campos24h

Colunista: Andriw Dubiela 

 

 

Institutos de pesquisa vêm mostrando um crescimento acelerado da insatisfação da população (inclusive em inúmeros setores que apoiaram o atual governo) quanto à forma de condução do executivo por parte de Bolsonaro. Sabemos que a credibilidade dos institutos de pesquisa sempre foi questionada pelos seguidores do Bolsonarismo, onde em 2018 por exemplo, alguns institutos chegaram a mostrar uma proximidade entre o candidato Fernando Haddad e o então candidato Jair Bolsonaro no segundo turno, o que claramente não se refletiu no resultado final da eleição e serviu de combustível para o discurso de que estes institutos usavam a influência sobre seus trabalhos para manipular a opinião pública (nada comprovado até hoje).

 

 

 

 

Institutos como DataFolha, Poder Data, IBOPE (Hoje transformado em Ipec), XP/Ipespe dentre outros tantos de renome nacional convergem para um movimento de difícil (Porém nunca impossível) reversão na percepção do eleitorado sobre o governo Bolsonaro. Estas pesquisas apontam diferenças significativas entre contentes e descontentes com o governo, números elevados de pessoas que culpam Bolsonaro sobre os erros na condução da pandemia, sobre os que acreditam existir corrupção no governo federal ou mesmo sobre os que dizem não confiar no atual presidente como chefe da nação. Estas diferenças que passam longe dos percentuais de margem de erro dos institutos, aparecem também em pesquisas feitas por diferentes metodologias de entrevista, em diferentes campos e circunstâncias. Mas o que isso nos mostra? Com certeza nos mostra que mesmo que os institutos de pesquisa tentem, jamais conseguiriam maquiar de tal forma os referidos resultados, e Bolsonaro sendo inteligente como é sabe disso.

 

 

 

 

Por fim, o cenário posto, somado a escândalos de possível corrupção na compra de vacinas por parte do alto escalão do ministério da saúde, CPI diariamente deflagrando questões não bem esclarecidas em rede nacional, além das inúmeras trapalhadas tanto do presidente como do seu staff na condução da pandemia e da economia, é natural (como citaram alguns assessores próximos da presidência), que Bolsonaro acabe perdendo horas do sono precioso de um presidente da República.

Comente esta matéria: