Cegueira e Solidariedade Principais

O bairro São Cristóvão aos olhos dos (as) estudantes da 1º série do ensino médio

Gráfico 1 - Pontos positivos do Bairro São Cristóvão - Fonte: SANTOS, 2022.

No início das atividades do ano corrente (2022) da disciplina de Sociologia na Escola de Educação Básica Frei Menandro Kamps, foi proposto aos estudantes das turmas de 1ª série (137 estudantes) do Ensino Médio um pequeno questionário acerca da forma como estes veem o bairro São Cristóvão. Para tal, quatro questões mobilizadoras foram sugeridas: 1] Quais são os pontos positivos do bairro? 2] Quais são os aspectos negativos do cotidiano? 3] Do quê o estudante mais gosta como morador? 4] O que o estudante mudaria no bairro?

Gráfico 1 – Pontos positivos do Bairro São Cristóvão – Fonte: SANTOS, 2022.

 

O gráfico 1 revela que embora haja na sociedade um discurso de apatia por parte da maioria dos jovens em relação às questões políticas, os estudantes do Menandro desta faixa etária demonstraram que estão atentos às políticas públicas que possibilitam melhores condições de vida para si e para a comunidade. As instituições vinculadas aos serviços de saúde e educação apareceram nas respostas de 25,3% dos jovens, sendo 13% para o Posto de Saúde do Bairro e 12,3% para a escola e questões relacionadas aos estudos.

Os estudantes compreendem a importância do acesso ao comércio que facilita a vida no Bairro, tal questão está explícita no gráfico 1, totalizando 11%. As áreas e espaços de lazer também estão dispostos nas respostas dos jovens, sendo 9,1% para campos (quadra) de futebol e 4,5% para parques ou parquinhos. Aspectos relacionados à vida social como: cooperação, união, amizade e humildade somam 9,7% da totalidade, enquanto a instituição igreja aparece com 5,8% nas respostas da juventude.

Gráfico 2 – Pontos Negativos do Bairro

São Cristóvão – Fonte: SANTOS, 2022.

 

Ao levantar dados sobre aspectos negativos, a problemática das drogas apareceu nas respostas de 26,4%, seguida de roubos e violência com 10,4% cada. Cabe uma reflexão acerca das possíveis relações que possam estar imbricadas quanto ao uso, o tráfico de drogas e as demais questões. A problemática canina apareceu em 6,6% das respostas, onde os estudantes reclamam da quantidade de cachorros soltos nas ruas. Outras questões vinculadas a políticas públicas também estão expostas, como a insegurança, saneamento básico, falta de área de lazer, ruas esburacadas, lixo nas ruas e terrenos baldios etc.

Gráfico 3 – Do quê o estudante mais gosta no bairro São Cristóvão – Fonte: SANTOS,2022.

 

A prática esportiva é a preferência de 22,9% dos jovens. A maioria das respostas está concentrada no futebol, enquanto “esportes” aparece somente em duas respostas e a palavra “lutas” em uma, sendo agrupadas pelos pesquisadores para a organização da apresentação. Novamente o comércio é elogiado e fica com 12,9% no ranking de respostas. Fica exposto também, o desgosto de 11,4% dos estudantes que responderam não gostar de nada de seu bairro. Na sequência, novos elogios à “escola” (7,1%), e a apresentação do bairro como “local de sossego e paz” (7,1%).

Gráfico 4 – O quê os estudantes mudariam no Bairro – Fonte: SANTOS, 2022.

 

Com base nas informações coletadas, fica evidente que a questão sobre violência e criminalidade, representando 13,2% das respostas, é onde mais se necessita de mudanças. O quesito “Drogas” é também uma preocupação do bairro, como mostram os 8,8% de respostas. Muitos também se posicionaram sobre a falta de ruas pavimentadas e a má condição das calçadas, o que vem prejudicando a mobilidade dos cidadãos.

Englobando a falta de segurança no bairro, a questão dos roubos é frequente para os moradores, e às vezes chega a ser “comum”. Mais uma vez é abordada a falta de áreas de lazer, assim como demonstra o gráfico 4 com 6,6%. A área de lazer pode parecer “banal”, mas para uma cidade pequena mais ambientes recreativos seriam uma ótima opção ao bem estar da população, principalmente da juventude.

Considerando os aspectos gerais da pesquisa, constata-se que os jovens da 1º série do ensino médio da escola Frei Menandro Kamps estão atentos às urgências de políticas públicas que possam contribuir com melhores condições de vida aos moradores do bairro São Cristóvão. Tal percepção demonstra o interesse da juventude por tais transformações. Ao mesmo tempo em que assume o protagonismo pelas mudanças, as diversas vozes dos estudantes ecoam também como manifestação pública direcionada – principalmente – aos governantes do município de Três Barras.

 

 

Camili Alessandra Moreira – Estudante da 1º série 3 da EEB Frei Menandro Kamps

 

Dione Grein da Cruz – Professor de Língua Portuguesa da EEB Frei Menandro Kamps

 

Reginaldo Antonio Marques dos Santos – Professor de Sociologia da EEB Frei Menandro Kamps

 

Vitória Maria Steklain Dias – Estudante da 1°série 3 da EEB Frei Menandro Kamps

 

Comente esta matéria: