InícioDestaqueLendas e Contos: O Fusca Amaldiçoado de Três Barras

Lendas e Contos: O Fusca Amaldiçoado de Três Barras

Últimas notícias

Em ação rápida policias recuperam veículo roubado em Canoinhas

Nesta quinta-feira, 20, a Polícia Militar foi  acionada para...

Mulher vítima de violência doméstica aciona a PM através do botão do pânico

Na manhã desta quinta-feira, 20, uma mulher vítima de...

Você  Acredita?

 

 

Nas caminhadas da vida, ao longo dos anos costumamos ouvir muitas histórias mal contadas.São mal contadas, porque não se consegue chegar a uma explicação real e concreta a respeito do fato ocorrido.

 

 

 

 

Das muitas histórias misteriosas ocorridas na nossa pacata Três Barras, vou contar hoje para vocês sobre as

 

“Luzes na noite”.

 

No decorrer da década de 90, numa área rural que fica há uns cinco quilômetros do centro. Não era muito tarde, pois o relógio na parede marcava 20:30. Dona Maria, esposa do lavrador Tomás, preparava o jantar, descascando batatinhas na pia, junto de uma janela que dava para o quintal. Seus filhos entretidos com os temas escolares, quase nem deram ouvidos aos latidos insistentes dos três cachorros soltos no pátio. O marido que havia chegado cansado das lidas na roça, estava no banheiro tomando uma ducha.

 

 

 

 

Atendendo aos latidos dos cachorros, dona Maria saiu na varanda e deu de cara com dois camaradas, que tinham marcado com seu Tomás, para vir receber o dinheiro correspondente aos trabalhos da semana. A mulher pediu que sentassem num banco que havia na varanda e aguardassem até o marido sair do banho.

 

 

 

 

Voltando à cozinha, Maria estranhou que os cachorros continuavam a latir insistentes para os fundos do terreno, onde  o fusca do marido estava estacionado. De repente as luzes do fusca começaram a acender e  apagar, a todo momento. Não havia dúvidas de que estavam tentando roubar o carro. Ela gritou chamando pelo marido, que veio rapidamente e junto dos dois camaradas armados com espingardas, cercaram o fusca, dando ordem, para que o “ladrão” saísse do carro. Mas, sequer houve resposta e as luzes continuavam.Nervoso, seu Tomás disparou a espingarda por três vezes. Mas ninguém saiu do automóvel.

 

 

 

 

Um dando coragem para o outro, saltaram sobre o carro que estava chaveado.Maria lá da janela atirou as chaves. Tomás abriu e o carro estava vazio. Por mais duas semanas, no mesmo dia e mesmo horário, o fato se repetiu.

 

 

 

Acreditando que havia um feitiço com o carro, Maria insistiu para que Tomás vendesse e comprasse um carro novo. E assim, Tomás foi a Curitiba, onde comprou um Fiat novo e empurrou o fusca em conta do negócio.

 

 

 

Porém, o que os lavradores não imaginavam, era que o caso fosse se repetir com o Fiat .Apavorada, Maria e as crianças queriam mudar do sítio. Tomás não sabia o fazer a respeito daqueles acontecimentos. Ouvia muitas opiniões dos amigos e todo o tipo de histórias assombradas. Quando o casal estava prestes a mudar realmente para a cidade, foram recebidos por uma parente, que trazia consigo um médium. Após aquela visita, onde o médium fez várias orações, nunca mais nada de estranho aconteceu no local.

 

 

 

Após esse relato, eu te pergunto: você acredita? (Ramos de Oliveira)

Equipe Gazeta
Equipe Gazetahttps://gazetanortesc.com.br
Somos um jornal de notícias e classificados gratuitos. Estamos há 25 anos no mercado e nosso principal diferencial é o jornal digital.